outubro 21, 2012

Não o permiti, por vários motivos. Podia enumerar-tos, mas tu és o principal. Tu, porque és uma bagunça, que não se compara de modo algum, à minha bagunça. A tua bagunça, torna a minha bagunça arrumada, a tua bagunça é mais do que aquilo que eu posso suportar. Tiras-me o chão. As minhas horas de sono. A minha estabilidade emocional. Mas acima de tudo, os meu valores. Eu ainda acredito no amor, sabes? E como tal, mereço ser amada e mereço amar, sem desculpas, nem mentiras, nem segredos. E não estou a pedir o teu amor, porque o teu amor é veneno e não te ofereço o meu, porque não o mereces. Sabes o quanto eu queria voltar a sentir-te novamente junto de mim, sabes porque eu to disse. E é bom saber que o sentimento é mutuo. Mas desta vez não vai acontecer, por mais que eu queira. Porque como eu disse, nós merecemos amor, amor que nenhum de nós é capaz de dar. Foste o melhor do pior. O pior do melhor. Foste a minha insanidade, o meu erro sem arrependimento, foste os beijos mais frios e os toques mais ásperos. Não te esqueço, não te carrego e não te deixo levar mais nada de mim. Até um dia, meu amor de metade.


2 comentários:

Aurora disse...

Princesa, quero-te bem. Sê feliz. <3

Emily disse...

- adoro :o sigo, segues de volta? :3