dezembro 03, 2011

Tenho andado por andar, quase que embalada nas rotinas dos dias monótonos. A passada não se altera, o caminho é o mesmo e o ritmo, bem, esse tem sido lento, tenho caminhado tão devagar quanto posso. Sozinha e perdida talvez não sejam os adjectivos que melhor me descrevam, mas sinto que a presença dele -ou a falta dela- me desorienta. Não é (só) o tempo que cura as feridas, é também a distância. Muitas vezes o tempo, sem distância, acaba apenas por se revelar uma tentativa fracassada de um voo no esquecimento.

5 comentários:

- Bianca disse...

Adorei! *.*

NaaGuerreiro disse...

Vais ver que vais conseguir, com ou sem distancia:) Tu és forte Aninhas*

Neuza disse...

Gostei :)

Filipa disse...

Gostei muito do post, força*

Aurora disse...

eu tenho sentido saudades tuas <3